A polêmica da marmita saudável

Equipe Lápis de Olho | 01/06/2015

Quem segue perfis saudáveis nas redes sociais percebeu que na semana passada, a repercussão girou em torno da marmita que a Bela Gil preparou pra filha dela, Flor Gil. Antes de falar sobre o assunto com vocês, quero que vejam qual foi a marmita que ela preparou:

bela gil

 

Para um lanche da tarde ela preparou: granola caseira, batata doce e banana da terra provavelmente cozidas no vapor e água. Rico em gorduras boas, carboidratos complexos (que vão ser liberados lentamente na corrente sanguínea), vitaminas, minerais, fibras e água para hidratação corporal. Uma refeição super saudável e nutritiva para uma criança em fase de crescimento, ou para um adulto que se preocupa em ter uma alimentação saudável. Além dos nutrientes, os sabores desse lanche são deliciosos, mas não conhecidos pela maioria da população. Mas até ai tudo normal né, afinal, nunca provaremos o sabor de todas as comidas do mundo.

 

 

Vários seguidores (ou não) comentaram acerca do assunto, criticando a conduta dela e por muitas vezes ofendendo ela e a filha. A crítica central era pela “pobreza” do lanche. Agora pergunto: POBREZA? Ah sim, pobreza de rótulos! Não consigo entender qual a lógica. Por ela ter posses, dinheiro, tem a obrigação de exibir marcas? Bom, um lanche nutricionalmente rico é livre de rótulos..

 

 

Com muita classe, Bela Gil ‘respondeu’ em seu blog (www.belagil.com) a todos os comentários. Em um belíssimo texto, ela passa a sua mensagem e finaliza com o seguinte parágrafo:

Os valores estão invertidos na nossa sociedade. Muitas pessoas acreditam que saúde é sinônimo de mais hospitais, quando o ideal seria acreditar na promoção de uma alimentação e estilo de vida saudável para que não precisássemos de mais hospitais. Educação não é só falar por favor e obrigada e sim saber fazer escolhas que afetem o mínimo possível aos outros e ao meio-ambiente. Então, quando a sociedade enxergar a alimentação saudável como um investimento e garantia de qualidade de vida, quando cozinharmos pensando e respeitando a saúde do corpo, da terra e dos produtores, aí sim conseguiremos construir um futuro melhor.

 

 

Particularmente, eu adoro a Bela Gil, adoro a maneira com que ela fala de alimentação saudável, da sustentabilidade e da maneira com que levanta estas bandeiras. Neste texto ela conseguiu englobar tudo isso de forma que explicou seus motivos e reforçou estas ideias! Nós nutricionistas encontramos dificuldades quando tentamos ensinar nossos pacientes sobre o que é uma alimentação saudável, justamente pelo fato de que os alimentos saudáveis não possuem uma embalagem que encha os olhos e tampouco possuem uma grande indústria que faça investimentos financeiros por traz deles. Os alimentos que não fazem parte da cultura de consumo e do cotidiano das pessoas, num primeiro contato causam estranheza, mas podem fazer muita diferença na saúde e no paladar, basta que você se deixe vivenciar novas experiências e derrube preconceitos alimentares. Vamos tentar?

Deixe um comentário